Proteína de soja: a saúde e a otimização na prática

De volta para Blog
Proteína de soja: saúde e otimização nos treinos

Proteína de soja: a saúde e a otimização na prática

A proteína de soja tem um valor biológico muito alto, porque contém uma grande quantidade de aminoácidos, incluindo os essenciais, isto é, aqueles que não são produzidos pelo nosso corpo. Este tipo de proteína é indicado, principalmente, para o caso de substituição de outras proteínas, como ocorre, por exemplo, com pessoas que têm intolerância à lactose ou que por algum motivo não pode ingerir as proteínas contidas no leite.

Como estes suplementos são fontes de proteínas para o atleta, têm a tarefa de compensar a ausência destas proteínas, que são tão importantes para a recuperação muscular e a hipertrofia dos atletas.

A proteína de soja e treinos intensos

Quando ocorre a prática de exercícios físicos, há um processo de micro-lesões no tecido muscular, o que reduz a quantidade de tecido no corpo. Para o corpo a combater a falta, estimula a recuperação, então, se o treino for muito intenso, o estímulo a recuperação também será maior, fazendo com que o corpo passe por um processo de “supercompensação”.

As proteínas são a matéria prima para os músculos. Eles são necessários para ajudar na recuperação pós-treino, e no hipertofria muscular (aumento do tamanho da fibra muscular em resposta ao treinamento), causada pelo exercício. Neste viés, a suplementação com proteína de soja pode ser bastante útil para aqueles atletas envolvidos em exercícios intensos que não são capaz de repor as proteínas empobrecido com a comida simples, porque eles precisam de uma boa recuperação pós-treino.

No caso de fornecimento insuficiente de carboidratos e gorduras como fontes de energia, as proteínas são desviados para a produção de energia necessária durante e após a prática de exercícios físicos.

Todos podem consumir?

Este tipo de suplementação alimentar é indicado para atletas e também para os praticantes amadores de atividade física. No entanto, no caso de atletas que consumir esta proteína, é necessário saber que o mesmo não deve substituir a alimentação, mas complementá-lo, devido a altas doses de aminoácidos, o que pode gerar sobrecarga no funcionamento do fígado e dos rins.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

De volta para Blog